Filarmônica de PasárgadaA banda foi formada em 2008 por alunos do curso de música da USP com o objetivo de interpretar as canções de Marcelo Segreto. Este conseguiu ludibriar os seus colegas de faculdade dizendo que o grupo ficaria famoso e que todos ficariam ricos em no máximo dois anos. Tendo feito pacto de sangue, de cuspe e de outras coisas que não vêm ao caso, os integrantes não puderam mais abandonar o projeto. O grupo foi vencedor da 17ª edição do Programa Nascente da USP (2009), do I Festival da Canção da UNICAMP (2010), do 41º Festival Nacional da Canção – FENAC (2011) e do Grêimy Awards 2012 na categoria “Melhor Cdzinho Demo Latino”. Em 2013, participou do EP Tribunal do Feicebuqui de Tom Zé, juntamente com Trupe Chá de Boldo, O Terno, Tatá Aeroplano, Elvis Presley e Emicida. Se você estiver na internet lendo esse texto ridículo e quiser um release decente do grupo, por favor, clique em “produção” para fazer o download do release. Se você estiver lendo este texto no folder ou no banner de um show do grupo, prestes a assistir a apresentação, saiba que não deveriam ter copiado e colado este texto no material de divulgação. O grupo tem como integrantes: André Teles (facebook), Fernando Henna (charutos), Ivan Ferreira (pagode e nhoque), Leandro Lui (limpeza de caixa d’água), Marcelo Segreto (serviços de escritório), Migue Antar (motoboy), Paula Mirhan (comediante tropical) e Renata Garcia (air clarone). A banda tem três discos gravados e lançados pelo selo Coaxo do Sapo. O CD O Hábito da Força (2012), com participações de Luiz Tatit, Ná Ozzetti, Kassin e Lurdez da Luz, o CD Rádio Lixão (2014), com participações de Tom Zé, Guilherme Arantes, Kassin e Tatá Aeroplano e o CD Algorritmos (2016), com participações de Guilherme Arantes, Tom Zé, Zé Miguel Wisnik, Juçara Marçal, Ná Ozzetti, Luiz Tatit, Tim Bernardes (O Terno), Kassin e Barulho Max. Todos produzidos por Alê Siqueira. Todos com projeto gráfico de Guto Lacaz. Todos com fracasso de vendas e de público.